Campanha de Obama ataca atuação de Romney como governador

Após semanas retratando o pré-candidato republicano Mitt Romney como um exterminador de empregos, a campanha à reeleição do presidente dos EUA, Barack Obama, está ampliando seus ataques de modo a incluir o desempenho do rival como governador de Massachusetts.

JEFF MASON E LAURA MACINNIS, REUTERS

25 Maio 2012 | 09h21

Num inflamado discurso na noite de quinta-feira em Iowa, Obama deu início a essa estratégia ao dizer que Romney valoriza demais sua experiência na iniciativa privada, "mas não fala realmente sobre o que fez em Massachusetts".

Até agora, os democratas enfatizavam a atuação de Romney à frente da firma de investimentos Bain Capital, que fechou várias empresas sob seu controle, causando o fim de postos de trabalho.

Romney diz que sua experiência como executivo o torna mais qualificado do que Obama para enfrentar as dificuldades econômicas.

Críticos de Obama dizem que a campanha dele tem sido hipócrita ao fazer essas críticas a Romney e à iniciativa privada, num momento em que os democratas buscam doações de executivos financeiros.

Obama, no entanto, não abandonou totalmente essa frente de ataque, e ironizou Romney por ter dito em agosto, também em Iowa, que "corporações são gente".

O presidente também disse que seu rival distorceu os fatos ao acusá-lo de criar uma dívida que se espalhou como "fogo na planície", e sugeriu que sua experiência como executivo não o qualifica para cuidar da economia.

"Ele diz que isso lhe dá uma compreensão especial sobre o que é necessário para criar empregos e para a economia crescer -- embora seja incapaz de oferecer uma só nova ideia sobre como fazer isso", disse Obama a cerca de 2.500 simpatizantes reunidos num galpão no recinto estadual de feiras e exposições, em Des Moines.

"Ele sinceramente acredita que, se executivos e investidores abastados estiverem ficando ricos, então a riqueza irá se filtrar e o resto de nós vamos nos dar bem também. E ele está errado", afirmou o democrata.

Embora Obama não tenha atacado explicitamente a passagem de Romney pelo governo de Massachusetts (2003-2007), assessores da campanha deixaram claro que esse será seu novo foco nas próximas semanas.

A campanha de Romney reagiu rapidamente a isso. "Até o final deste ano, o presidente Obama terá presidido quatro déficits recordes consecutivos na casa do trilhão de dólares, e acrescentado uma quantia histórica à nossa dívida nacional. Nossos filhos vão pagar a conta por suas políticas fracassadas durante vários anos pela frente", disse Ryan Williams, porta-voz do republicano, que tem virtualmente garantida a candidatura do partido à Casa Branca na eleição de novembro.

"É como se ele tivesse esquecido que é presidente há quatro anos e tem um histórico a defender."

(Reportagem adicional de Andy Sullivan em Chicago)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.