Casal de idosos é preso por contrabando de diamantes

Um casal de idosos estrangeiros foi preso em flagrante pela Polícia Federal (PF) no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande Belo Horizonte, acusado de contrabando de diamantes. O belga Michel Hammel, de 70 anos, e a israelense Schoshana Handfuchs, de 64, foram flagrados ao tentar deixar o País com grandes quantidades da pedra escondidas no absorvente íntimo e dentro do corpo da mulher.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

25 de junho de 2013 | 13h37

A prisão aconteceu nesta segunda-feira, 24. De acordo com a PF, uma agente desconfiou de Schoshana, que estava muito nervosa no momento de embarque. Uma revista pessoal revelou que ela levava 102 gramas de diamantes brutos escondidos no absorvente. Além disso, agentes encontraram na bagagem do casal grande quantidade de preservativos e um tubo de gel lubrificante. Hammel e Schoshana foram levados para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS), em Belo Horizonte, onde foram submetidos a exames. Uma radiografia revelou que havia mais dois pacotes de diamantes feitos com os preservativos e escondidos no reto da mulher.

O casal foi autuado por contrabando e crime contra o patrimônio da União, cujas penas, somadas, podem resultar em até 13 anos de prisão. Os suspeitos podem ser processados ainda por lavagem de dinheiro. Segundo a PF, Hammel e Schoshana estiveram juntos no Brasil em meados de abril, o que levanta a suspeita de haviam cometido o crime outras vezes e de que a capital mineira integra uma rota internacional de contrabando de diamantes. Em Minas Gerais, há o chamado Circuito dos Diamantes, composto por 12 cidades produtoras da pedra localizadas nas regiões central, Vale do Jequitinhonha e Grande Belo Horizonte.

Tudo o que sabemos sobre:
Idososestrangeiroscontrabando

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.