Consumo de gás natural no Brasil sobe 20,25% em 2008--Abegás

O consumo de gás natural no Brasil subiu 20,25 por cento em 2008 comparado ao ano anterior, ou média diária de 49,5 milhões de metros cúbicos, informou à Reuters a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). De acordo com a associação, a participação do gás natural subiu de 3,7 para 9,3 por cento na matriz energética entre 1998 e 2008 e tornou-se um negócio atraente no país no ano passado. O consumo em 2008 só não foi maior, destacou a entidade, devido aos preços altos do produto em relação a outros combustíveis, como o álcool. "A indústria do gás tornou-se uma das oportunidades de negócio mais atraentes no país em razão da aprovação da Lei do Gás, uma legislação específica para o setor, e só não apresentou crescimento mais expressivo devido à política de preços praticada", afirmou a Abegás em nota nesta sexta-feira. Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, o preço do gás natural subiu em média 40 por cento em 2008, com maior aumento na região Sul e menor na Sudeste. A Abegás destacou que a média do primeiro semestre foi maior do que a do segundo, 50,6 milhões de metros cúbicos diários contra 49,1 milhões, respectivamente. O consumo industrial continuou liderando em 2008, mas com recuo de cerca de 20 por cento no final do ano, segundo a Abegás, devido à crise global que vem reduzindo a demanda de maneira geral. O setor automotivo, por exemplo, reduziu o consumo de gás natural em 5,49 por cento em relação ao ano anterior, ou 6,6 milhões de metros cúbicos diários. Mesmo assim, o consumo industrial fechou o ano em alta de 1,86 por cento, somando 25,8 milhões de metros cúbicos. As térmicas foram destaque em 2008, segundo a Abegás, com alta de 145,6 por cento no ano, já que foram mais despachadas pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) do que em 2007 para economizar água dos reservatórios hidroelétricos. O consumo atingiu a média de 13,3 milhões de metros cúbicos por dia, contra 5,4 milhões em 2007. O segmento de co-geração teve aumento de 18,26 por cento, seguido pelo residencial com 9,29 por cento e comercial com 4,38 por cento. Respectivamente, os segmentos residencial, comercial e de co-geração consumiram 723 mil metros cúbicos por dia, 609 mil metros cúbicos por dia e 2,2 milhões de metros cúbicos por dia. A Abegás lembrou que 2008 foi marcado por acontecimentos importantes para o segmento, como a chegada do Gás Natural Liquefeito (GNL) ao Brasil, que dá maior segurança ao sistema; as descobertas do pré-sal, com potenciais reservas gigantes de petróleo e gás; e a aprovação da Lei do Gás no Senado e na Câmara, seguindo para sanção presidencial. Para 2009 a entidade quer ampliar os debates sobre a política de preços do combustível. "O objetivo é alcançar uma política de preços que permita a livre concorrência e que o gás natural volte a ser tão competitivo quanto antes", explicou em nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.