D. Cappio recebe militantes de movimentos populares

Há quase 20 dias sem se alimentar, o bispo de Barra (BA), d. Luiz Flávio Cappio, foi despertado hoje com uma alvorada organizada por movimentos populares e outras pessoas que mantêm acampamento ao redor da Capela São Francisco, em Sobradinho (BA). D. Cappio, um pouco mais combalido, mantém-se alerta e preocupado com os rumos legais sobre o projeto de transposição do Rio São Francisco. Ao raiar do dia, ele recebeu ativistas ligados aos Movimentos dos Pequenos Agricultores (MPA), dos Atingidos por Barragens (MAB) e dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Cáritas Brasileira, Comissão Pastoral da Terra (CPT), Conselhos Pastoral dos Pescadores (CPP) e Indigenista Missionário (CIMI) e moradores locais. Eles cantaram, recitaram poesias e ouviram explanações de d. Cappio sobre São João Batista, "o maior dos profetas e o primeiro apóstolo". Ainda pela manhã, o bispo de Barra recebeu a visita dos bispos de Propriá (SE), d. Mário Rizzi, e de Irecê (BA), d. Itamar Viana. Recebeu também uma carta do núncio apostólico no Brasil, d. Lorenzo Baldisseri, segundo d. Cappio, solidária e preocupada com o prolongado jejum. O bispo disse que está animado com o apoio da Igreja Católica. Ainda na noite de hoje, haverá uma missa, celebrada todos os dias, desde o dia 27, quando d. Cappio iniciou o jejum.

JOSÉ MARIA MAYRINK, Agencia Estado

14 de dezembro de 2007 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.