Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em Agudos, não se paga nada há 10 anos

Os 34.532 moradores de Agudos, a 330 quilômetros de São Paulo, não sabem o que é pagar tarifa de ônibus há dez anos. Os oito ônibus do serviço público municipal circulam das 5h30 à meia-noite e transportam de graça cerca de 12 mil passageiros/dia. A iniciativa, do ex-prefeito José Carlos Octaviani (PMDB), agradou tanto que os sucessores decidiram preservá-la. A tarifa zero rendeu dividendos políticos ao idealizador: o atual prefeito, Everton Octaviani (PMDB), é partidário e sobrinho do ex-prefeito.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

13 de junho de 2013 | 20h13

José Carlos Octaviani afirma que decidiu tornar o serviço gratuito para facilitar a mobilidade. Na época, o serviço era deficiente. A concessionária teve dificuldades de gestão e os ônibus quebravam com frequência, pondo em risco a segurança dos passageiros. Com a tarifa zero, o número de passageiros triplicou, de acordo com ele. As linhas interligam todos os pontos da cidade e a conexão é feita na rodoviária municipal. Os passageiros trocam de ônibus conforme o percurso que desejam fazer. Segundo o prefeito, a tarifa zero até ajudou a atrair empresas.

Tudo o que sabemos sobre:
TarifasprotestoSPAgudos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.