Enterrada família que morreu na zona sul

Pai, mãe e filha foram soterrados em casa: garota de 9 anos chegou a ser socorrida

Damaris Giuliana, O Estadao de S.Paulo

23 de janeiro de 2010 | 00h00

Três das vítimas soterradas durante a forte chuva que atingiu a capital paulista na madrugada de quinta-feira foram enterradas ontem no Cemitério Parque dos Girassóis, em Parelheiros, na zona sul. Os corpos de José Nivaldo de Oliveira, de 37 anos, da mulher dele, Maria das Neves Cardoso, de 33, e da filha, Rosângela Cardoso de Oliveira, de 9, chegaram ao local às 15h30, de acordo com a administração do cemitério.

Cerca de 300 pessoas acompanharam o cortejo - entre elas, parentes, amigos e vizinhos. O primeiro a ser sepultado foi o pai, às 16 horas. A filha foi a última, às 16h30. Os parentes, emocionados, evitaram a aproximação da imprensa.

A família vivia no bairro do Grajaú, também na zona sul, uma das regiões que mais sofreram com a chuva de quinta-feira. A área onde eles moravam não é considerada de risco pela Prefeitura. Por volta das 3h, um deslizamento de terra atingiu a casa onde viviam sete pessoas. Cinco foram resgatadas com vida, entre as quais Rosângela. Os corpos de José Nivaldo e Maria das Neves foram encontrados pelos bombeiros às 15 horas. A filha do casal foi levada para o pronto-socorro, mas não resistiu. O outro filho do casal, Everton, de 6 anos, sobreviveu. Ele foi socorrido pelo tio, José Dionísio de Oliveira, de 44 anos.

Na quinta-feira, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) visitou o local e foi vaiado por moradores. Ele apontou a impermeabilização do solo, ocupação irregular e décadas de falta de planejamento como as causas dos problemas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.