Estudante protesta contra libertação de agressores no RJ

O estudante Vitor Suarez Cunha, de 21 anos, agredido por cinco rapazes quando tentou evitar que esse grupo importunasse um mendigo na Ilha do Governador, na zona norte do Rio, em fevereiro, lançou uma campanha contra a libertação de seus agressores. Cunha pediu nesta terça-feira aos seus seguidores no microblog Twitter que repetissem a hashtag "JusticaVitorSuarez" para que o termo chegasse aos tópicos mais repetidos na rede.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

31 de julho de 2012 | 19h27

Também no Twitter, Cunha, que teve de receber 63 pinos no rosto devido à surra, criticou a decisão de libertar os cinco agressores, anunciada na última sexta-feira pelo juiz Murilo Kieling, da 3ª Vara Criminal do Rio. O magistrado também desqualificou o crime pelo qual o quinteto é acusado. O Ministério Público acusava o grupo por tentativa de homicídio, mas o juiz considera que houve lesão corporal. Assim, o grupo será julgado por um juiz, e não pelo Tribunal do Júri.

Tudo o que sabemos sobre:
libertaçãoagressoresjustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.