Ex-funcionário é indenizado por ter nome em 'lista negra'

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) restabeleceu a sentença da Vara do Trabalho de Campo Mourão, no Paraná, que deu direito ao ex-funcionário da Coamo Agroindustrial receber R$ 20 mil por danos morais. O nome do tratorista foi incluído em uma ''lista negra'' que dificultava seu retorno ao mercado de trabalho. A lista, chamada PIS-MEL, era elaborada pela Employer Organização de Recursos Humanos Ltda., com informações fornecidas por empresas que eram clientes. Trabalhadores que acionaram a Justiça do Trabalho, que serviram como testemunhas ou que por qualquer outro motivo não eram bem vistos pelas empresas eram incluídos na ''lista negra''. As duas empresas, Coamo e Employer, devem pagar a indenização estipulada pela Justiça ao trabalhador.

PAULO R. ZULINO, Agencia Estado

21 de janeiro de 2008 | 14h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.