Família de vítima processa Air France por falta de dados

Um advogado afirmou hoje que a família de uma comissária de bordo francesa que morreu na queda do avião da Air France, em 1º de junho, está processando a companhia aérea. O motivo é que os familiares exigem que a empresa divulgue informações sobre as causas da tragédia. O advogado da família de Clara Amado informou que entrou com um ação cível contra a Air France.

AE-AP, Agencia Estado

21 Agosto 2009 | 17h25

Segundo ele, a família quer informações para saber se os sensores de velocidade do avião são os responsáveis pela tragédia. Os investigadores acreditam que os sensores de velocidade podem ter contribuído para o acidente. Companhias por todo o mundo ordenaram a substituição do componente de suas aeronaves. A Air France não quis comentar o caso.

Ontem, investigadores franceses informaram que abandonaram as buscas pelas caixas-pretas do voo 447 do Airbus 330 da Air France. O Escritório de Investigações e Análises para a Aviação Civil (BEA), agência francesa que investiga o acidente, informou em comunicado que o navio que liderava as buscas pelas caixas-pretas deixou o local. O Airbus decolou do Rio de Janeiro e seguiria até Paris, porém, caiu no Oceano Atlântico. Todas as 228 pessoas a bordo morreram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.