Famílias pedem que voo do Airbus 330 seja suspenso

Advogados e especialistas técnicos em aviação que auxiliam as famílias de passageiros alemães que morreram no desastre do voo 447 da Air France, que caiu no Atlântico em 2009 matando todos os 228 passageiros e tripulantes, quando voava do Rio de Janeiro a Paris, pediram a um tribunal parisiense que ordene que todos os aviões 330 da Airbus fiquem pousados até que os possíveis motivos técnicos que provocaram o acidente sejam descobertos e as falhas resolvidas, informou a edição online da revista alemã Der Spiegel.

ANDRÉ LACHINI, Agência Estado

01 Junho 2011 | 20h24

"Nós pedimos que ações apropriadas sejam tomadas para evitar que uma catástrofe semelhante a que ocorreu com o voo 447 se repita de novo", diz a carta apresentada à juíza Sylvie Zimmermann, à qual a Der Spiegel teve acesso.

Na petição, os parentes das vítimas alemãs suspeitam que uma falha em um software no sistema de controle do piloto automático tenha levado ao fracasso dos esforços dos pilotos em retomar o controle da aeronave.

Eles pedem que o tribunal parisiense tome medidas e determine que todos os aviões Airbus 330, bem como os modelos da aeronave similar, o quadrimotor 340, fiquem no solo até que as causas reais do acidente sejam descobertas. Se tal determinação for emitida, mais de mil aviões ficariam fora de serviço.

Mais conteúdo sobre:
voo Airbus Air France

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.