Favela no Rio ganha 'banho de loja' com visita do papa

A favela de Varginha, que será visitada pelo papa Francisco, passa por uma verdadeira reforma. O asfalto está sendo recapeado, o campo de futebol, onde Francisco falará para os moradores, já recebeu nova iluminação, garis varrem a rua todos os dias, e o muro da escola municipal passará a ter grade. Tudo isso se restringe ao trecho de 300 metros da Rua Carlos Chagas, onde Francisco vai passar. Moradores se queixam que as obras são para o "papa ver" e não há mudanças estruturais.

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

17 de maio de 2013 | 18h12

A dona de casa Ivanete de Jesus, de 28 anos, queria que Varginha, em Manguinhos, na zona norte, recebesse a visita do papa pelo menos uma vez por ano. "Só assim para a prefeitura arrumar tudo o que tem pra fazer", afirma. Desde que Varginha foi anunciada pelo Vaticano como um dos locais a ser visitado pelo papa Francisco, há 10 dias, equipes da prefeitura trabalham na Rua Carlos Chagas, principal acesso à comunidade. Mas as obras se concentram no curto trecho entre a entrada da favela, onde está a Igreja de São Jerônimo Emilliani, e o campo de futebol, onde o tricampeão Jairzinho treina adolescentes.

O comerciante Manoel Arcanjo, de 55 anos, morador de Varginha há 46, conta que a Carlos Chagas foi asfaltada nos anos de 1970. Depois, nunca mais teve manutenção, apesar das inundações constantes do Rio Faria Timbó. "Estão fazendo obra para o papa ver. Quero que façam as obras que ele não vê, como as de saneamento e ligação de água", afirmou Arcanjo. Ele lembra ainda que Varginha não se resume a Rua Carlos Chagas. "Não tem nenhum funcionário da prefeitura nas outras ruas."

Desde o anúncio da visita, o campo de futebol ganhou um novo poste com refletores. A Rioluz também trocou todo o cabeamento até o transformador. Carros abandonados que ocupavam o acostamento da Rua Carlos Chagas já foram rebocados. Garis passaram a varrer a rua diariamente, o que não acontecia. "Eles vinham e tiravam o lixo da caçamba, mas não tinha gente aqui fazendo a limpeza. Espero que eles continuem a vir depois da visita do papa", disse Ivanete.

Procurada, a assessoria de Imprensa da Rio Eventos, empresa da prefeitura que trata de assuntos relacionados à Jornada Mundial da Juventude, informou que Varginha foi pacificada recentemente, permitindo a realização de serviços públicos. Já havia um cronograma de intervenções da prefeitura para a região de Manguinhos, mas, por conta da visita do papa, algumas ações tiveram de ser antecipadas.

Tudo o que sabemos sobre:
papavisitaVarginha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.