Governo pede a consórcio ajuda às vítimas de explosão

O Ministério da Integração Nacional informou hoje, por meio de nota, que foi determinado ao Consórcio OAS/Galvão/Barbosa Mello/Coesa providências para o socorro e assistências às vítimas da explosão que ocorreu ontem à noite no canteiro de obras da transposição do Rio São Francisco, em Sertânia (PE), que matou três pessoas e feriu 10.

ROSANA DE CASSIA E ANGELA LACERDA, Agência Estado

22 de dezembro de 2010 | 14h27

O consórcio é responsável pela obra. Foi determinada também a investigação das causas "para que fatos lamentáveis como este não se repitam". Na nota, o ministério, que coordena o projeto, enviou votos de pesar às famílias das vítimas.

Após a explosão, a área foi isolada por bombeiros e policiais civis. Os feridos foram socorridos para o Hospital de Sertânia. Em estado grave, três deles foram removidos para o hospital de Arcoverde, na região.

O canteiro de obras integra o Eixo leste da transposição, - uma das principais obras do governo federal - que terá 220 quilômetros de canais que irão captar água do rio em Itaparica (BA) para abastecer o agreste de Pernambuco e Paraíba.

O Eixo Norte terá 400 quilômetros e vai captar água em Cabrobó (PE) para abastecer o sertão de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. A previsão é de que na sua totalidade, quando concluída, a obra irá beneficiar 12 milhões de pessoas nos quatro Estados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.