Haddad: governador foi 'contundente' ao cobrar Sabesp

Haddad: governador foi 'contundente' ao cobrar Sabesp

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou que há uma "situação limite" no embate entre a presidente da Sabesp, Dilma Pena, e o governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB). Em uma reunião entre diretores do órgão responsável pela gestão hídrica de São Paulo, Dilma teria dito que uma "orientação superior" vetou uma campanha de esclarecimento à população sobre a crise de abastecimento de água.

ANTONIO PITA, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2014 | 21h35

"A nota do governador (Geraldo Alckmin, PSDB) foi contundente exigindo explicações da presidente da Sabesp. Se ele está exigindo, se estabelece uma dinâmica em que ela vai ter que responder. Chegamos a uma situação limite para ter esclarecimentos demandados por quem de direito", afirmou.

Haddad viajou ao Rio para acompanhar o debate presidencial com a comitiva da campanha de Dilma Rousseff. Segundo ele, a crise hídrica em São Paulo foi um dos fatores que ajudou a evolução da presidente nas pesquisas de intenção de votos. "Foi um conjunto de fatores. Esse foi um elemento, da maior importância pela sua essencialidade, mas não foi o definitivo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.