Hugo Hoyama fala sobre os desafios do tênis de mesa brasileiro em Londres

Em bate-papo com leitores da BBC Brasil no Facebook, mesatenista falou sobre preparação e a expectativa de ir a sua sexta Olimpíada.

BBC Brasil, BBC

03 Maio 2012 | 19h45

O mesatenista Hugo Hoyama, que em Londres 2012 participará de sua sexta olimpíada, disse em conversa com leitores da BBC Brasil no Facebook que as chances de medalha para o Brasil na modalidade em Londres são "remotas", por causa do desafio de enfrentar as equipes asiáticas e europeias.

"As chances são remotas, falando com os pés no chão, mas claro que todos vamos preparados e confiantes para enfrentar de igual para igual qualquer adversário, pois foi assim que eu pelo menos consegui as vitórias contra jogadores que foram campeões mundiais, olímpicos", afirmou, respondendo a perguntas de leitores.

Hoyama fará parte da equipe brasileira de tênis de mesa pela sexta vez em Olimpíadas, recorde que atualmente é do velejador Torben Grael. Ele foi convocado para a seleção pela primeira vez aos 17 anos.

O atleta disse estar confiante no preparo dos mesatenistas brasileiros e no surgimento de novos talentos, mas lembrou que os chineses serão, novamente, adversários difíceis de vencer.

"Há alguns europeus se destacando, como o alemão Timo Boll, mas será difícil tirar o título dos chineses", disse à BBC Brasil.

Ele afirmou ainda que mantém um ritmo constante nos treinos diários, que se dividem entre treinos de força e resistência e treinos táticos, com jogadas ensaiadas.

Prestes a completar 42 anos, Hoyama, que é o atleta brasileiro com o segundo maior número de medalhas de ouro em Jogos Panamericanos - dez medalhas -, disse que depois dos Jogos em Londres pretende se dedicar a sua Fundação e a projetos para levar o ensino do tênis de mesa a escolas da rede pública. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.