Inadimplência do consumidor deve ser menor no 2o semestre--Serasa

O nível de inadimplência dos consumidores brasileiros deve ser menor no segundo semestre em relação ao patamar visto na primeira metade do ano, conforme estimativa da Serasa Experian.

REUTERS

21 Maio 2012 | 10h26

O indicador de perspectiva da inadimplência da empresa de análise de crédito recuou 1,4 por cento em março, para 98,2 pontos, após uma série de quedas mensais desde o terceiro trimestre de 2011.

Menor ritmo de crescimento do endividamento do consumidor, maior rigor na concessão de crédito por parte de agentes financeiros e continuidade dos ganhos salariais acima da inflação são apontados pelos economistas da Serasa como fatores que devem sustentar o movimento de recuo gradual da inadimplência.

Em abril, a inadimplência dos consumidores brasileiros aumentou 23,7 por cento na comparação com o mesmo mês em 2011 e subiu 4,8 por cento em relação a março, a maior variação mensal para abril desde 2002.

No caso das empresas, o indicador de perspectiva da inadimplência cresceu 0,8 por cento em março, a menor taxa de expansão em seis meses. O resultado, apesar de desfavorável, aponta para um enfraquecimento da deterioração do quadro de inadimplência das empresas, segundo a Serasa.

"O lento processo de reativação do crescimento econômico, o nível ainda elevado da inadimplência dos consumidores e a fraca conjuntura internacional tenderão a manter pressionado o nível de inadimplemento das empresas ao longo dos próximos meses", afirmaram os economistas.

(Por Vivian Pereira)

Mais conteúdo sobre:
FINANCAS INADIMPLENCIA PREVISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.