Irã vai levar material nuclear a bunker em breve, dizem fontes

O Irã planeja iniciar em breve a transferência de material nuclear para uma instalação subterrânea, o que deve ampliar os temores ocidentais com relação às intenções do país, segundo fontes diplomáticas.

FREDRIK DAHL, REUTERS

21 de outubro de 2011 | 09h15

Elas disseram que a primeira leva do gás hexafluorido de urânio (UF6) - que é injetado nas máquinas que refinam o urânio - será transferida para a usina de Fordow, perto da cidade sagrada de Qom, em preparativos para a atividade de enriquecimento de material atômico ali.

O urânio enriquecido pode, dependendo do seu grau de pureza, servir como combustível para reatores nucleares para fins pacíficos, ou como matéria prima para armas nucleares - intenção que Teerã nega ter, apesar das suspeitas em contrário de governos ocidentais.

A principal usina iraniana de enriquecimento fica perto de Natanz (centro), mas o Irã anunciou em junho que vai transferir seu enriquecimento de maior grau para Fordow, uma instalação subterrânea que oferece melhor proteção contra eventuais ataques militares.

"Pela primeira vez eles terão material nuclear em Fordow", disse uma fonte diplomática. A etapa em que o primeiro cilindro de UF6 é levado para a usina geralmente faz parte dos preparativos finais antes do início da produção de urânio enriquecido, disse a fonte.

Diplomatas iranianos não foram localizados para comentar a informação, que vem a público em um momento de tensão por causa de um suposto complô iraniano para matar o embaixador saudita em Washington, acusação feita pelos Estados Unidos que é rejeitada por Teerã.

No próximo mês a agência nuclear da ONU deve publicar um relatório que provavelmente irá aumentar as suspeitas de que o Irã está realizando atividades nucleares com possíveis aspectos militares.

O Irã só revelou a existência de Fordow - situada dentro de uma montanha em uma antiga base militar - para a AIEA em setembro de 2009, depois que agências de inteligência ocidentais já haviam detectado a usina.

Mais conteúdo sobre:
IRANNUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.