Manifestantes fazem protesto por moradia em Curitiba

Um grupo com aproximadamente 50 integrantes da União Nacional por Moradia Popular (UNMP) fez uma passeata de aproximadamente uma hora hoje pelo centro de Curitiba, pedindo atenção das autoridades para a falta de moradia. De acordo com a entidade, pelo menos cinco mil imóveis da capital paranaense, o que representaria 10% do total, estão ociosos e poderiam contribuir para diminuir o déficit habitacional. Em comemoração do Dia Nacional do Habitat, os manifestantes, que disseram pagar aluguel ou morar em casa de parentes ou conhecidos, pregaram adesivos em alguns imóveis públicos e particulares desocupados que encontraram pelo caminho. Neles, a inscrição: "Interditado. Imóvel que não cumpre sua função social". Não houve nenhum confronto durante a passeata.Segundo a presidente da UNMP, Maria das Graças Silva de Souza, somente na entidade há 1,5 mil famílias inscritas aguardando uma casa. "São famílias que vivem abaixo da linha de pobreza e não têm condições de fazer inscrição na Cohab e serem atendidas", salientou. "Diante de tantos recursos que o governo federal tem hoje, a gente ainda não conseguiu deliberar e fazer um atendimento legal para essas famílias."

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

03 de outubro de 2007 | 15h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.