Médicos chineses lutam para salvar ´bebê-sereia´ abandonado

O primeiro "bebê sereia" da China, nascidocom uma má-formação congênita chamada sirenomelia, ou síndrome desereia, luta por sobreviver na unidade de tratamento intensivo doHospital Pediátrico Provincial de Hunan, informa a agência denotícias Xinhua. Os médicos que atendem o bebê - que foi achado na porta dohospital no último dia 12, com um bilhete entre suas roupas indicandoque tinha nascido no dia 9 - conseguiram mantê-lo vivo graças adiálises, já que a criança não tem rins.Apesar da dificuldade de se submeter um recém-nascido a diálises,"o procedimento está dando resultados positivos", segundo o diretordo hospital, Zhu Yimin. Acrescentou que a equipe médica que atende a criança - que tambémnão possui trato urinário, cujo coração não funciona adequadamente eque não tem desenvolvidos outros órgãos - estuda um programa deintervenções cirúrgicas antes de poder separar suas pernas, unidaspelas coxas e calcanhares. "As operações serão complicadas e arriscadas, mas faremos o quepudermos", disse Zhu, cujo hospital custeará todas as despesas médicas.Em setembro, a menina peruana Milagros Cerrón, de doisanos, e que nasceu com a síndrome, foi submetida a umacirurgia de separação e reconstrução das coxas e posteriormente deuseus primeiros passos.

Agencia Estado,

22 de novembro de 2006 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.