Mendes: 1/3 dos detidos estão presos 'indevidamente'

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Gilmar Mendes, disse hoje que aproximadamente um terço da população carcerária nacional se encontra "recolhida aos presídios indevidamente". "Ou porque já cumpriram a pena ou porque não deveriam ter sido recolhidas. Esse é um quadro grave, preocupante e vergonhoso", afirmou o ministro, que coordenou o 2º Encontro Nacional do Judiciário, realizado em Belo Horizonte. Mendes também aproveitou o evento para rebater as críticas à decisão do STF sobre os recursos de presos. Na decisão do início do mês, a Corte entendeu que o réu tem direito a recorrer em liberdade em caso de decretação de prisão até que estejam esgotadas todas as possibilidades de recurso. Para o presidente do STF, houve uma interpretação equivocada da decisão. "O Supremo Tribunal Federal não mandou soltar todos os presos provisórios", afirmou. "Só disse que a sentença condenatória ou a decisão de um tribunal confirmando a sentença condenatória não é o bastante para mandar alguém para o presídio. É preciso que haja um fundamento para a prisão provisória. É preciso que o juiz diga: ''Essa pessoa é perigosa, essa pessoa pode continuar a praticar crime'', e aí então haverá realmente a necessidade de fazer o recolhimento", disse.Mendes destacou que o País possui uma grande população carcerária presa preventivamente, mas afirmou que não há razão para pânico. "Não houve essa soltura que foi anunciada ou ameaçada na mídia." DiagnósticoO CNJ divulgou no encontro um diagnóstico sobre o sistema carcerário brasileiro. Conforme o balanço, até dezembro de 2008 havia no País 446.687 presos. Deste total, 42,97% eram presos provisórios e 57,03% condenados. Responsável pelo levantamento, o juiz federal Edvaldo Ribeiro dos Santos disse que de 2000 a 2008 o número de presos provisórios saltou de cerca de 42 mil para aproximadamente 191 mil. No mesmo período, segundo o CNJ, o déficit de vagas avançou de 97 para 156.328.

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2009 | 17h40

Tudo o que sabemos sobre:
presosJudiciárioSTFMendes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.