Parlamento Europeu aprova proibição do mercúrio

O Parlamento Europeu decidiu apoiar planos para interromper o uso de mercúrio em dispositivos de medição não-elétricos, com a exceção de barômetros e em antiguidades. Dispositivos médicos, como termômetros e manômetros, estariam inclusos na legislação, que agora parte para a avaliação dos países-membros da União.A proposta segue um pedido da Comissão Européia, órgão executivo da União, para a proibição das exportações de mercúrio a partir de 2011, como parte de um esforço para reduzir o suprimento global do metal, altamente tóxico.A União Européia é o maior exportador de mercúrio do mundo. O material já está deixando, gradualmente, de ser usado em diversas atividades industriais.O envenenamento por mercúrio pode ser fatal, e mesmo em pequenas quantidades o metal pode causar danos ao sistema nervoso. Traços de mercúrio são encontrados em praticamente todos os peixes e frutos do mar. Liberado como parte da poluição industrial, o metal se precipita e se acumula em rios e mares sob uma forma ainda mais tóxica, o metilmercúrio. Essa substância pode chegar à placenta, e representa um risco para crianças e mulheres grávidas.

Agencia Estado,

14 de novembro de 2006 | 18h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.