Parlamento francês aprova teste de DNA para imigrantes

Projeto votado pela Câmara e pelo Senado provoca polêmica e protestos; 49% da população apoia a medida

BBC Brasil, BBC

24 de outubro de 2007 | 03h15

O Parlamento francês aprovou nesta terça-feira um polêmico projeto de lei que prevê a realização de testes de DNA em imigrantes que pretendem entrar na França para se reunir com familiares que já vivem no país.Na Assembléia Nacional (a câmara baixa do Parlamento francês), a proposta passou com 282 votos favoráveis e 235 contrários. No Senado, recebeu 185 votos a favor e 136 contra.O projeto provocou muita polêmica na França e, no último fim de semana, levou milhares de manifestantes às ruas em protestos realizados em diversas cidades do país.Uma pesquisa de opinião publicada no diário Le Parisien revelou que 49% dos entrevistados apoiavam a proposta, enquanto 43% eram contrários ao projeto.A nova lei estabelece regras mais rígidas para a entrada de estrangeiros na França. Um dos artigos abre a possibilidade de que sejam exigidos testes de DNA para comprovar os laços de parentesco dos estrangeiros que buscam entrar na França sob a alegação de se reunir com familiares que já residem no país.Críticos consideram a lei racista. Segundo integrantes do Partido Socialista, de oposição ao governo do presidente Nicolas Sarkozy, a concessão de vistos deveria ser baseada em princípios de direitos humanos, e não em critérios genéticos.No entanto, o ministro da Imigração da França, Brice Hortefeux, defendeu a lei e afirmou que outros 12 países europeus já adotam procedimentos semelhantes.Os socialistas afirmaram que vão contestar a lei na Corte Constitucional.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
françaimigraçãosarkozydna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.