Parques municipais de São Paulo estão sem seguranças

Parques municipais de São Paulo estão sem seguranças. E a situação deve piorar a partir da próxima quinta-feira, quando a Prefeitura vai finalizar o processo de rescisão dos contratos com a empresa que cuida da segurança de 36 áreas verdes da cidade. Como a administração ainda não contratou ninguém para fazer o serviço, parques como o Ibirapuera e o Guarapiranga sequer têm previsão de quando vão receber novos vigilantes.

AE, Agência Estado

22 Outubro 2011 | 07h09

A administração municipal afirma que decidiu romper o contrato depois de constatar repetidas faltas de funcionários da GSV Segurança e Vigilância Ltda - a reportagem flagrou ontem guaritas vazias nos Parques do Ibirapuera, Trianon e Anhanguera. A GSV foi contratada em 2008, por cerca de R$ 15 milhões, para cuidar dos parques municipais, mas atualmente passa por processo de recuperação judicial - medida legal para evitar a falência. Por causa desses problemas econômicos, funcionários não têm recebido pagamento e vários abandonaram seus postos nos últimos meses, deixando os parques paulistanos mais inseguros.

A Prefeitura já aplicou diversas multas contra a empresa. A principal irregularidade constatada foi o "número elevado" de faltas de vigias e postos de segurança descobertos em tempo integral. Além disso, a GSV foi autuada por não apresentar comprovantes de pagamentos de benefícios sociais e plano de saúde para seus funcionários. Os contratos firmados com a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente serão rescindidos na quinta-feira. E a normalização da situação vai depender da região onde os parques estão localizados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
segurança parques Ibirapuera

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.