Pesquisa abre caminho para remédio contra gripe aviária

Uma tecnologia avançada de raios-X ajudou cientistas a identificar um novo alvo que os criadores de remédios poderão pôr na mira na hora de atacar o vírus letal da gripe aviária. Embora uma nova droga ainda possa estar anos no futuro, a pesquisa publicada nesta quinta-feira oferece a esperança de um novo modo de combater a doença que, um dia, poderá se converter numa terrível epidemia mundial."Ganhamos um alvo que não sabíamos ter", diz o médico Michael Perdue, especialista em gripe da Organização Mundial da Saúde (OMS), e que não tomou parte no estudo. Os pesquisadores usaram raios-X para obter uma "fotografia atômica" dos átomos e moléculas que compõem as duas proteínas da superfície do vírus H5N1. A neuraminidase - o "N" do H5N1 - é a proteína que permite ao vírus espalhar-se pelas células do corpo. as drogas usadas atualmente se baseiam em outros modelos da neuraminidase e não são específicas para o H5N1. Ao identificar o mapa da neuraminidase do H5N1, os pesquisadores poderão se tornar capazes de criar drogas sob medida para atacar a versão do vírus que já matou 139 pessoas nos últimos três anos.As novas drogas contra o H5N1 poderão ser usadas em combinação com o atual principal remédio para a gripe aviária, o Tamiflu. A combinação poderia reduzir o risco de o tratamento estimular o surgimento de um novo vírus, resistente aos remédios, diz John Skehel, autor do artigo sobre o mapeamento da neuraminidase, que será publicado na revista Nature.

Agencia Estado,

16 de agosto de 2006 | 14h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.