Presos 3 acusados de comércio ilegal de jóias em SP

Polícia flagrou comerciante negociando jóias com outros 2; esquema era investigado desde dezembro

Solange Spigliatti, da Agência Estado,

29 de fevereiro de 2008 | 12h56

Três comerciantes foram presos na tarde de quinta-feira, 28, no centro de São Paulo, acusados de crime contra a ordem tributária. Os detidos negociavam pedras preciosas e semipreciosas, relógios e objetos de ouro sem nenhuma documentação de procedência.   Segundo o delegado Edison Santi, titular da Delegacia de Repressão a Roubo de Jóias do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado), o esquema era investigado desde dezembro do ano passado.   Os policiais da DRRJ prenderam em flagrante João Carlos Teixeira, de 46 anos, apontado como um dos principais negociadores de jóias e relógios de origem ilícita, em um escritório na rua Quintino Bocaiúva, na região central da cidade de São Paulo.   A ação policial flagrou Teixeira negociando pedras preciosas, semipreciosas, ouro, jóias e relógios com os também comerciantes Cícero Leandro da Silva, de 42 anos, e Fauzi Ahmad Farhat, de 43 anos.   Os agentes ainda apreenderam reais e dólares. Os detidos não explicaram a procedência do material.

Tudo o que sabemos sobre:
comércio ilegal de jóiasSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.