Primavera polonesa

As agitações trabalhistas, o punk e o primeiro amor são temas do polonês Tudo que Eu Amo. No longa, o diretor Jacek Borcuch baseou-se em memórias da sua juventude para criar o protagonista Janek.

O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2012 | 03h15

Prestes a se formar, o garoto de 18 anos vive com intensidade seus dias (talvez os últimos) na pequena cidade à beira-mar onde vive ensaiando com sua banda. Com a agitação das primeiras manifestações do movimento sindical livre Solidariedade - um prenúncio do colapso do comunismo -, Janek vê o show de sua banda punk na festa do colégio enfrentar a desconfiança dos militares.

Sem panfletagem, o filme combina as condições sociais da Polônia nos anos 80 e o mundo interior de Janek, um jovem idealista mas ainda pouco consciente da força política de suas aspirações. Carolina Arantes Pág. 48.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.