Protestos na Copa são 'oportunidade única', diz Pezão

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), defendeu nesta segunda-feira, dia 9, as manifestações que certamente ocorrerão na capital fluminense nestes dias que antecedem a Copa do Mundo. Segundo o chefe do executivo estadual, a presença de milhares de jornalistas do mundo inteiro "é uma oportunidade única" para quem reivindica melhores condições.

MARCIO DOLZAN, Agência Estado

09 de junho de 2014 | 18h52

"Ninguém quer aqui que não tenham as manifestações. Se elas forem para reivindicar melhores condições salariais, fazerem seus pleitos, eu acho super justo num momento em que a gente recebe quase 17 mil jornalistas do mundo inteiro e é uma oportunidade única", disse Pezão, logo após a inauguração do Centro Aberto de Mídia, no Forte de Copacabana (zona sul).

O governador disse ainda que o Estado está monitorando possíveis protestos para os próximos dias, e que tem recebido representantes de vários movimentos no Palácio Guanabara. Segundo Pezão, o governo está "atendendo e entendendo as reivindicações". Apesar de defender o direito aos protestos, Pezão alertou para que não haja quebra-quebra. "Torço para que não existam manifestações que vão depredar o patrimônio público, privado. Isso nós vamos estar vigilantes, e tenho certeza que vamos coibir."

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014Pezãoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.