Quarentena para Ebola nos EUA pode ter consequências não desejadas, diz oficial médico

Um oficial médico sênior dos Estados Unidos advertiu neste domingo que as políticas de quarentena impostas pelos Estados de Nova Jersey, Nova York e Illinois a viajantes que tiveram contato com pacientes com Ebola em países da África Ocidental podem ter consequências não desejadas.

REUTERS

26 de outubro de 2014 | 11h58

As novas medidas podem dissuadir os profissionais de saúde a ir para a África Ocidental para ajudar a combater a epidemia, e a melhor maneira de proteger os norte-americanos é parar o Ebola na África, disse o doutor Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas do National Institutes of Health, agência do departamento de Saúde dos EUA. Ele deu a declaração em um programa da CNN.

(Por Sandra Male)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOEBOLAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.