Sá & Guarabyra encerram projeto sobre rock rural

Dupla toca hoje seus clássicos no CCBB e lança o último CD ao lado de Zé Rodrix

, O Estadao de S.Paulo

09 de março de 2010 | 00h00

O trio Sá, Rodrix & Guarabyra surgiu no início da década de 1970 fundindo as correntes da música pop moderna com elementos da cultura interiorana brasileira. A isso se deu o nome de rock rural, sobre o qual o CCBB realizou um projeto, que se encerra hoje com Sá & Guarabyra. Eles vão cantar seus clássicos rock-rurais "principalmente daqueles que melhor funcionam com violões e violas, já que será um concerto acústico sem banda", diz Guarabyra. "Um bom desafio, aliás."

Eles também vão homenagear Zé Rodrix, que morreu no ano passado. "Quando revejo as fotos da primeira fase do trio, nós praticamente garotos, cantando, vivendo, tenho absoluta certeza de que, enquanto vivermos e cantarmos, o homenagearemos sempre", diz Guarabyra. O último trabalho do trio, que tinha retomado as atividades juntos, acaba de ser lançado. O CD Amanhã, com produção artística de Tavito, não é a base dos shows de hoje, mas mantém características do velho e bom rock rural: além de casar guitarra com viola, há as letras libertárias e as dualidades entre o rural e o urbano.

Um componente em comum com o rock rural e a música caipira é uma ponta de melancolia nas letras e algumas melodias, ao mesmo tempo que tem uma ideia de desbravamento, de inconformismo com a estagnação, como nas várias canções estradeiras, principalmente no início da carreira de Sá & Guarabyra e no trio com Zé Rodrix.

Com trânsito livre entre o mato e o asfalto, os três, que já foram jornalistas em alguns períodos, têm um olhar "de correspondente, de observador" sobre esse universo ambíguo. "Isso faz parte mesmo da confusão que mistura nossos estilos de vida e de composição", diz Guarabyra. Sobre as contradições da dita música "sertaneja" de hoje, ele diz que "as verdadeiras duplas caipiras, "de raiz", foram aos poucos sendo relegadas ao ostracismo devido ao aparecimentos dos "caipiras jovens"". Estes, para ele hoje "não possuem sequer o cheiro da estrada dos clássicos". "São baladeiros pasteurizados por um envoltório de hipotético bom gosto esganiçando dramas à paraguaia." L.L.G.

Serviço

Rock Rural. CCBB. Teatro (125 lug.). Rua Álvares Penteado, 112, Centro, 3113-3651. Hoje, 13 h e 19h30. R$ 6

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.