San Francisco vive dia de protestos por tocha olímpica

Cidade americana mobiliza todo contingente policial para evitar distúrbios em desfile.

Da BBC Brasil, BBC

09 de abril de 2008 | 15h25

Centenas de manifestantes pró-Tibete se reuniram para protestar contra a China nesta quarta-feira em San Francisco, nos Estados Unidos, antes da passagem da tocha olímpica pela cidade.Os manifestantes levavam bandeiras tibetanas e caminharam até o consulado da China para protestar contra a política chinesa para o Tibete.Segundo o correspondente da BBC em San Francisco, Rajesh Mirchandani, os manifestantes levavam cartazes com slogans como "Denuncie a Brutalidade da China no Tibete".Uma vigília à luz de velas também foi realizada perto da prefeitura da cidade. Durante o evento, o arcebispo sul-africano e ganhador do prêmio Nobel da Paz, Desmond Tutu, pediu que líderes mundiais não compareçam aos Jogos de Pequim."Em nome de Deus, em nome de nossas crianças, em nome dos filhos deles (tibetanos), em nome do belo povo do Tibete, não vão", disse."Digam aos seus colegas em Pequim que vocês queriam ir, mas olharam na agenda e perceberam que tinham outras coisas para fazer", acrescentou.O ator americano Richard Gere, ativista pró-Tibete, também participou da manifestação e atacou os planos da China de desfilar com a tocha olímpica pelo Tibete."O plano de levar esta tocha ao Tibete, como se lá existisse uma sociedade harmoniosa, é tão obviamente falso e insulta os tibetanos", afirmou.PolíciaAs autoridades municipais de San Francisco esperam mais de 6 mil pessoas ao longo da rota por onde a tocha olímpica deve passar.Segundo Rajesh Mirchandani, as autoridades não querem se arriscar, em vista dos protestos já ocorridos na passagem da tocha por Londres e Paris, e mobilizaram uma escolta de motocicletas da polícia.Policiais de todas as patentes também foram acionados para fazer a segurança durante o desfile.O grupo de ativistas pró-independência do Tibete é o maior participante dos protestos pela passagem da tocha olímpica.Mas também devem participar grupos de ativistas pró-Mianmar, além de ativistas pela defesa dos direitos humanos, incluindo a Anistia Internacional, e uma coalizão de grupos de pressão que protestam contra o que afirmam ser uma falta de firmeza do governo chinês em relação ao governo do Sudão, devido aos conflitos em Darfur.PercursoO percurso da tocha olímpica ao redor do mundo tem atraído protestos contra a situação dos direitos humanos na China e a favor da independência do Tibete. Em Londres, no último fim de semana, manifestantes tentaram apagar a tocha, atacando a chama com um extintor de incêndio.Em Paris, na segunda-feira, as personalidades encarregadas de levar o fogo olímpico tiveram de extinguir a tocha e circular em um ônibus para se esquivar dos protestos. Na terça-feira, o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, revelou que a organização está discutindo a possibilidade de encurtar a rota de volta ao mundo da tocha para evitar maiores distúrbios.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
tibetechinaolimpíadastocha olímpica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.