Sede da Vai Vai escapa de fechamento em SP

A sede da Escola de Samba Vai Vai, localizada na Bela Vista, região central da capital paulista, escapou de ser fechada no início da noite desta quarta-feira graças a um documento fornecido pelo Ministério Público. No final da tarde de ontem, uma fiscal da prefeitura se apresentou com uma queixa de que a agremiação desrespeitou a lei do Psiu e que tinha ordens para fechamento do local, de acordo com o presidente da Escola, Edimar Tobias da Silva, conhecido como Thobias da Vai Vai. Após a queixa, Silva apresentou à fiscal uma autorização de funcionamento da sede fornecida pelo Ministério Público. O presidente da Vai Vai também explicou que foi feito um acordo com a própria prefeitura de cumprimento tanto dos horários de ensaio, dentro dos limites da lei, quanto de respeitar a lei "Cidade Limpa".Em recente entrevista a um site, em que bate papo com algumas centenas de internautas Thobias declarou: "Os ensaios fazem parte da cidade, da história de São Paulo. São como a Parada Gay e as feiras livres. As pessoas podem não gostar de samba, mas o Carnaval não é barulho, é uma manifestação cultural e como tal é protegido pela Constituição".

Agencia Estado

10 de janeiro de 2008 | 07h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.