Três perguntas para...

Mario Mantovani

AFRA BALAZINA e ANDREA VIALLI, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2010 | 00h00

Diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica

1. Nos 20 anos de monitoramento da Mata Atlântica, o que mudou?

Alguns Estados que eram campeões de desmatamento, pela pressão talvez, estão deixando de ser os que mais desmatam, como o Rio. Mas Minas Gerais sempre foi um grande problema, pelo tamanho da área de Mata Atlântica que tem. Os dados que trazemos é um grande esforço de uma ONG para que seja possível fazer políticas públicas que melhorem nossa qualidade de vida.

2. E o Paraná, o 2º Estado que mais desmatou entre 2008-2010?

O Paraná sempre foi resistente à legislação da Mata Atlântica. Há setores no Estado que não consideram algumas áreas como Mata Atlântica. É uma dificuldade que tem de ser superada. Mas, dessa vez, o problema foi na região metropolitana. Vamos monitorar esse novo fenômeno.

3. E como podemos recuperar áreas?

A restauração hoje é muito cara, talvez por isso exista uma pressão do setor sucroalcooleiro em não fazê-la. Um hectare fica em R$ 15 mil reais. Então, precisamos de linhas de crédito para isso.

PROTEÇÃO

Audiência discute parque em Bertioga

Será realizada amanhã em Bertioga uma audiência pública para informar sobre as propostas de criação de Unidades de Conservação no município. O objetivo do projeto é proteger 8 mil hectares entre a Rodovia Mogi-Bertioga e a Terra Indígena Guarani, incluindo 7 quilômetros de praias e costeiras na foz dos Rios Itaguaré e Guaratuba. O evento, promovido pela prefeitura de Bertioga e a Fundação Florestal (órgão do Estado) será realizado às 14h, na sede da administração municipal.

MUDANÇA CLIMÁTICA

Emissão da aviação pode triplicar

As emissões de gases de efeito estufa da aviação podem dobrar ou triplicar até 2050. É o que aponta um estudo liderado por Bethan Owen, da Universidade Metropolitana de Manchester, na Grã-Bretanha. Foram feitos investimentos na melhoria da eficiência do combustível. Porém, o tráfego aéreo tem aumentado constantemente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.