PUBLICIDADE

Paladar testou

Qual a melhor airfryer do mercado?

‘Paladar’ colocou as fritadeiras de oito marcas para jogo para testar se cumprem o que prometem: fritar sem (ou com o mínimo) de óleo; confira o resultado

Sobre superfície de mármore, cinco airfryers de diferentes marcas estão enfileiradas na diagonal. Foto: Tiago QueirozFoto: Tiago Queiroz

“Nossa, eu não sabia que existiam tantas airfryers no mercado.” Essa frase foi repetida por todos (to-dos) os jurados convidados pelo Paladar assim que cada um chegava para o teste. Não à toa. Para conferir a eficiência dos equipamentos, a equipe do caderno conseguiu garimpar modelos de oito marcas diferentes - e há, ainda, outras opções à venda. Portanto, se você está em busca de uma airfryer para chamar de sua, não ouse finalizar a compra sem antes conferir o resultado dessa prova.

Oito airfryers, de diferentes marcas, foram testadas pelo 'Paladar' Foto: Tiago Queiroz

As diferenças não aparecem apenas no design das fritadeiras a ar, mas também na potência e no tipo de tecnologia empregada para “fritar sem uma gota (ou quase nada) de óleo” - especificidades que interferem diretamente no resultado das receitas preparadas no eletroportátil. Outros detalhes, como a capacidade do cesto e o preço, claro, também devem ser levados em conta na hora da escolha. Todos esses quesitos - com peso maior para a qualidade da comida preparada - foram levados em conta pelo júri para formar o ranking das melhores airfryers do mercado.

Por falar em júri, ele foi formado pelos chefs Daniela França Pinto, Gustavo Rodrigues, Jorge Gonzalez e Thiago Maeda - que são craques em fritura (por imersão em óleo, no caso) - e pela repórter que vos fala. Divididos em dois times - o da batata frita e o do frango a passarinho -, os jurados colocaram as airfryers para jogo, seguindo as orientações de tempo e temperatura presentes no manual de cada fritadeira.

PUBLICIDADE

Os resultados foram bem diferentes entre si. Enquanto algumas fritadeiras entregaram ótimas batatas em cerca de 15 minutos de preparo, outras escorregaram no processo e ofereceram versões murchas, queimadas ou com características (inclusive o sabor!) de batata requentada.

+ LEIA MAIS: Batatas fritas resistem ao delivery? Aprenda a ‘ressuscitá-las’

Já na etapa do frango a passarinho, poucas marcas conseguiram atingir um resultado próximo ao que se espera de um frango frito (com casquinha sequinha e crocante). “Na minha opinião, a maioria entregou boas versões de frango assado, e não frito”, pondera Gustavo. Faz sentido, porque o embora o eletroportátil receba a alcunha de fritadeira elétrica, seu funcionamento é, na verdade, mais parecido com o de um forno de convecção. Seu sistema é composto por uma resistência elétrica e por uma hélice, que juntas criam uma corrente de ar quente para cozinhar os alimentos.

Confira o ranking das melhores airfryers do mercado

1º Oster

PUBLICIDADE

modelo: OFRT950

potência: 1.300W

capacidade: 3,3 l

preço: R$ 541,43, no site da Amazon

Foi, sem dúvida, a fritadeira a ar que entregou as melhores receitas de batata frita e frango frito, com características que, de fato, simulam a de fritura em óleo por imersão: batatas crocantes por fora e macias por dentro e um frango a passarinho suculento, com uma casquinha sem igual. O painel digital facilita a regulagem exata de tempo e temperatura - e ainda permite pausar o funcionamento da máquina a cada abertura da gaveta.

PUBLICIDADE

2º Philips Walita

modelo: RI9217

potência: 1.425W

capacidade: 4,7 l

preço: R$ 1.129,90, no Mercado Livre

PUBLICIDADE

“A pioneira, a verdadeira, a número um do mundo”, como a própria marca faz questão de destacar, também se saiu muito bem nos testes. Não há o que reclamar das receitas de batata frita ou de frango frito: batatas crocantes e macias, frango suculento e com casquinha crocante. Perdeu pontos pela grade do cesto, que grudou parte da pele do frango. Outro ponto a ser corrigido é o botão que separa o cesto da gaveta, que, por não ter proteção, pode ser apertado sem querer e causar um acidente.

Doce de leite na airfryer? Especialista alerta sobre os riscos de cozinhar leite condensado em lata

3º Britânia

modelo: BFR15P

potência: 1.500W

PUBLICIDADE

capacidade: 6 l

preço: R$ 528, no Mercado Livre

Além do preço convidativo e da capacidade do cesto - a maior entre todas as fritadeiras testadas -, o equipamento da marca conquistou o último lugar do pódio do teste do Paladar pela eficiência e pela qualidades das receitas. Em pouco mais de 15 minutos de preparo, as batatas conquistaram crocância (que de fato lembrava a de fritura por imersão) e em menos de 30 minutos o frango ficou suculento e com casquinha crec-crec.

As campeãs: fritadeiras da Oster, Philips Walita e Britânia conquistaram o pódio do ranking do 'Paladar' Foto: Tiago Queiroz

4º Mondial

PUBLICIDADE

modelo: AFN-40-Bi

potência: 1.500W

capacidade: 4 l

preço: R$ 329, na Amazon

O cesto quadrado (com antiaderente) garante melhor aproveitamento do espaço - ponto para a airfryer da marca, que, no teste das batatas, também se mostrou a mais eficiente: em 15 minutos de preparo, entregou batatas “fritas” muito gostosas. Na etapa do frango a passarinho, porém, o equipamento derrapou no desempenho. Apesar da casquinha crocante, por dentro, os pedaços da ave ficaram bem secos.

Espetinhos na AirFryer: como fazer um churrasco simples e delicioso

5º Electrolux

modelo: EAF11 por Rita Lobo

potência: 1.400W

capacidade: 3,2 l

preço: R$ 389 (na promoção), na Amazon

O equipamento apresentou desempenho diferente nas duas etapas do teste e, por isso, não atingiu colocação mais alta no ranking. Enquanto as batatas, apesar do belo aspecto dourado, ficaram murchas (após 20 minutos de preparo), o frango a passarinho manteve a suculência interna embalada por uma casquinha de cor uniforme e crocante.

6º Philco

modelo: PFR15PG

potência: 1.500W

capacidade: 4 l

preço: R$ 596,25 (na promoção), no site da Amazon

O resultado de ambas as receitas não agradou aos jurados. A batata, além de murcha, “ficou parecendo requentada”, com sabor estranho. Já o frango a passarinho saiu do cesto com alguns pontos queimados - o que trouxe certo amargor. Um manual mais preciso quanto aos modos de preparo (principalmente na relação quantidade de ingrediente x tempo) talvez solucionasse o problema.

Preparo de batatas pré-fritas e congeladas pelas airfyers estava entre as provas. Foto: Tiago Queiroz

7º Arno

modelo: Easy Fry EZFV

potência: 1.100W

capacidade: 3,2 l

preço: R$ 329,90 (na promoção), disponível na Amazon

A fritadeira a ar não passou pelo crivo dos jurados por conta do resultado das receitas. As batatas, mesmo após 30 minutos de preparo a 180ºC, como indica o manual, permaneciam pálidas e murchas. Já o frango, apesar de suculento e saboroso, pareceu mais uma versão assada do que frita, contrariando as expectativas. Talvez a baixa eficiência se deva à potência do equipamento (1.100W), que é a menor entre todas as airfryers testadas.

Pastel na Airfryer vs. frito no óleo: qual a melhor opção? Descubra!

8º Polishop

modelo: iChef - AllSpace

potência: 1.500W

capacidade: 4 l

preço: R$ 699,96, no Mercado Livre

O baixo desempenho do equipamento no teste, deve-se, principalmente, ao resultado ruim das receitas de batata frita e frango frito. As batatas, cujo preparo foi repetido só por desencargo (com tempo de preparo menor), não tiveram um cozimento uniforme nas duas rodadas - enquanto umas saíram com as pontas bastante queimadas, outras permaneceram pálidas e murchas. Já o frango a passarinho, além de queimado, não atingiu a crocância desejada.

A venda por meio dos links sugeridos pode gerar comissões sem que o consumidor pague a mais por isso.

'Paladar' testa oito marcas de airfryer. Foto: Tiago Queiroz

Conheça o júri

Daniela França Pinto (@danifrancapinto)

Chef do restaurante Cortés, onde prepara mais de sete toneladas de batatas fritas por mês, é também chef-consultora do francês La Casserole, cujas “batatas fritas maison” brilham na companhia do steak tartare e dos mexilhões ao molho de vinho branco e ervas. Antes do teste, já estava pensando em comprar uma airfryer para uso doméstico e, agora, tem certeza de que vai.

Danielle Nagase (@daninagase)

Repórter do Paladar, teve a ideia de organizar o teste das airfryers quando decidiu comprar o equipamento para a casa nova e ficou perdida diante de tantas marcas, modelos e preços. “Agora tenho conhecimento de causa para investir esse dinheiro sem o risco de me arrepender”, brinca.

Gustavo Rodrigues (@gustavo_rodrigues)

Chef do restaurante Lobozó, de cozinha brasileira, prepara um frango frito de respeito - a porção é servida com maionese de pequi e molho de tamarindo. Veio para o teste de coração aberto, mas constatou que nenhum dos equipamentos testados foi capaz de imitar os resultados da fritura em imersão.

Jorge Gonzalez (@jorgejgonzalez)

É chef e sócio do Buzina, cuja cozinha expede muitos quilos de batatas fritas por mês. Fininhas, crocantes e levemente apimentadas, elas brilham em apresentação solo, na porção de fritas bravas, e fazem, ainda, participação especial no recheio do hambúrguer que leva o nome da casa (sim, Jorge coloca batata frita no meio do hambúrguer!)

Thiago Maeda (@chefmaeda)

É chef, dono de bar e entende de fritura como ninguém - Maeda está à frente das cozinhas do Koya 88 e do Bagaceira. Participar do teste o fez refletir sobre como a indústria trabalha para facilitar a vida doméstica, mas, segundo ele, “ainda falta bastante para que as airfryers consigam entregar um resultado igual ao de uma bela fritura”.

Segunda parte do teste consistiu no preparo de porções de frango a passarinho. Foto: Tiago Queiroz


Cinco dicas para tirar o melhor proveito de sua airfryer

  • Leia o manual: e confira detalhes sobre o seu funcionamento; é possível que ele traga dicas para a receita que você pretende preparar
  • Preaqueça o equipamento: com o cesto ainda vazio, ligue a fritadeira por cinco minutos, a 200ºC (ou de acordo com o manual)
  • Não encha o cesto: o ar quente precisa ter espaço para circular; se for preciso, divida o preparo em duas ou mais etapas
  • Chacoalhe o cesto: ou vire os ingredientes na metade do tempo de preparo; para que os pedaços fritem/cozinhem por igual
  • Um tiquinho de óleo vai bem: para cada 300 gramas de batatas palito, acrescente uma colher de sopa de óleo (exceto para versões pré-fritas e congeladas); no frango a passarinho, junte um pouco de azeite aos demais temperos

Confira o vídeo:

Veja conteúdos relacionados à batata frita e asa de frango:

+ Batata frita crocante e sequinha

+ Asinhas de frango assadas puxadas no limão

+ Batatas fritas e com coberturas cremosas estão em alta na cidade

+ Frango assado passa por releituras e nostalgia no cardápio de restaurantes

+ Receita de frango frito

Índice

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE