PUBLICIDADE

Servidores aprovam greve contra reforma da Previdência

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

A plenária Nacional dos Servidores Públicos Federais aprovou neste sábado a convocação de uma greve da categoria por tempo indeterminado a partir de 8 de julho. A decisão foi tomada por cerca de 350 delegados sindicais, que representam 11 entidades e aproximadamente 800 mil funcionários. Apenas dois delegados se abstiveram de votar. A greve pretendida pela categoria é contra a proposta de reforma da Previdência, enviada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Congresso. Os servidores querem que o governo retire a proposta que está tramitando na Câmara. Dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) ligados ao presidente da entidade, Luiz Marinho, tentaram aprovar uma proposta de negociação com o governo de pontos da reforma da Previdência. Mas foram vaiados e derrotados pela plenária. "Uma greve pela retirada da reforma tem poucas chances de ser vitoriosa", disse Denise Motta, da Executiva da CUT, muito vaiada pelos delegados sindicais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.