Cardoso cobra repasse de dados sobre criminalidade

O Estado que não repassar ao governo federal dados completos de criminalidade "não receberá verbas de segurança", afirmou hoje o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Segundo ele, a decisão constará de medida provisória que prevê a criação do Sistema Nacional de Estatística e Informação em Segurança Pública.

FELIPE WERNECK, Agência Estado

10 Outubro 2011 | 20h17

Cardozo fez o anúncio durante palestra na Associação Comercial do Rio. Segundo ele, mapas da violência no Brasil precisam recorrer a dados defasados do Sistema Único de Saúde (SUS) por falta de estatísticas oficiais dos Estados. "Obrigaremos os Estados a repassarem informações dentro de um padrão metodológico que nos permita termos ciência, o mais próximo do tempo real, da ocorrência da criminalidade. Os Estados que não repassarem essas informações não receberão do governo federal verbas da segurança pública", disse o ministro.

Ao citar a falta de um banco de dados nacional confiável, ele lembrou que as estatísticas do Ministério da Saúde não trazem, por exemplo, informações sobre roubos e não permitem a distinção entre homicídios culposos e dolosos. Além disso, são desatualizados - no último Mapa da Violência, foram usados dados de 2008.

Cardozo também afirmou que o governo federal pretende "intervir no problema das perícias". "Há um plano para isso", disse o ministro, que defendeu a integração entre órgãos federais e estaduais para tornar mais eficaz o resultado de investigações. Ao comentar a corrupção na polícia, ele afirmou que as corregedorias precisam perder o "espírito corporativo". Cardozo também criticou a atuação de empresas de segurança que "atuam sem o mínimo de capacitação técnica". Segundo ele, será criado um Estatuto da Segurança Privada.

Mais conteúdo sobre:
segurança justiça dados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.