PUBLICIDADE

Satélite em rota de colisão com a Terra será derrubado na quinta

Operação será realizada devido ao 'dano potencial que combustível representa para a população', segundo EUA

PUBLICIDADE

Por Efe
Atualização:

A Marinha americana deve derrubar o satélite espião defeituoso "L-21", que está em rota de colisão com a Terra, na quinta-feira, 21. A operação vai acontecer um dia depois da aterrissagem do ônibus espacial Atlantis no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral (Flórida), informou nesta segunda-feira, 18, a rede de TV CNN.   Veja também: Moscou diz que EUA buscam testar arma espacial EUA anunciam que vão tentar abater satélite no espaço Satélite militar perdido dos EUA deve cair no início de março   A emissora, que obteve as informações de duas pessoas que pediram para não ser identificadas - já que os detalhes da operação são secretos -, afirmaram que a idéia do Pentágono é derrubar o instrumento o mais rápido possível, para que haja tempo suficiente para uma hipotética segunda tentativa.   O Pentágono pretende efetuar a derrubada com um míssil tático a ser lançado de um navio da Marinha americana antes da entrada do satélite na atmosfera terrestre. O objetivo é desviar a trajetória do "L-21" e fazê-lo cair em no mar.   O governo dos EUA tomou a decisão de derrubar o instrumento com base no "dano potencial que representa para a população o combustível" utilizado para o deslocamento do satélite.   A Agência de Defesa contra Mísseis (MDA, na sigla em inglês), que é subordinada ao Pentágono, calcula que a operação vai custar entre US$ 40 milhões e US$ 60 milhões.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.