PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Debate sobre o universo feminino

Mulheres Positivas: Denise Hills

Nossa Mulher Positiva é Denise Hills, consultora chefe de sustentabilidade do Itaú Unibanco e presidente da Rede Brasil do Pacto Global, da ONU.

PUBLICIDADE

Por Mulheres Positivas
Atualização:
 Foto: Estadão

  1. Como começou a sua carreira?

Comecei a carreira no Citibank, como Trader da Tesouraria para clientes Corporate Bank, na filial de Ribeirão Preto, no final dos anos 80. Vim para São Paulo em 1992 e, desde então, trabalhei em investimentos, Risco, Modelagem de novos negócios, Produtos financeiros, para clientes Private, Corporate e Alta renda, Educação financeira, Inovação... Desde 2010 trabalho os desafios de Sustentabilidade. Comecei com pouquíssimas mulheres na tesouraria e fico feliz em ver muitas aqui no banco hoje em dia. E mais feliz ainda em trabalhar com impacto positivo que podemos tanto gerar, quanto engajar parceiros, clientes, e toda a sociedade.

  Foto: Estadão

PUBLICIDADE

  1. Como é o seu dia a dia no Itaú Unibanco e quais os principais desafios da empresa para este ano? 

É super dinâmico e desafiador, mas ao mesmo tempo estratégico. Sou uma pessoa do dia, acordo cedo e aproveito bem estas horas para me concentrar e preparar lendo materiais, informações, tendências. Um dia normal pode ter muitas reuniões, palestras e eventos, bem como trabalho em grupos. Viajo bastante e estou sempre antenada nas tendências e discussões sobre mudança do clima, carbono, nova economia, empreendedorismo, mudança de comportamento, diversidade, direitos humanos. Tudo para capturar e incorporar, cada vez mais nos nossos negócios, a visão de performance sustentável. Nossos desafios são cada vez mais ser parte da transformação da vida das pessoas, nas escolhas que fazem com dinheiro, na realização de sonhos e planos.

 

Publicidade

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Difícil eleger um só. As inúmeras crises econômicas deste período me moldaram, e certamente o nascimento dos filhos - Eduardo nasceu no meio da crise da Ásia, em 1997 e voltei ao trabalho de licença do Guilherme, meu segundo filho, logo depois do 11 de setembro 2001. Foram marcantes e, ao mesmo tempo, de muito aprendizado. Aprendi muito sobre liderança, respeito, amor, família, resiliência, parceria do time e foco. Saber o que é realmente importante e sempre responder (de preferência com uma reflexão no meio) ao invés de reagir são aprendizados que levo desta época.

 

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa? 

Como todo mundo, eu tento!! Aprendi a valorizar a mim mesma e também ser minha prioridade. Sempre fui muito intensa, curiosa e cheia de energia. Estar em equilíbrio é um exercício diário, mais um compromisso do que um estado de espirito. Maturidade e consciência me ajudam muito. Saber que tudo tem seu tempo, e que não controlamos todas as coisas que nos acontecem. Conseguir se equilibrar e viver bem cada momento, bem como se preparar para as mudanças da vida. O natural da vida é a mudança. Precisamos aproveitar estes momentos para reencontrar, muitas vezes, o melhor de nós.Escrever um livro sobre as dimensões de uma vida em equilíbrio foi uma experiência intensa sobre como aprender isso e, ao mesmo tempo, praticar e compartilhar com as pessoas o quanto este é o desafio da vida. Vivê-la de verdade.

 

  1. Qual o seu maior sonho?

Publicidade

Eu já realizei muitos. Ter filhos, um marido super companheiro e uma família incrível. Viajar muito, conhecer várias culturas, ser membro da ONU, ter um trabalho que me orgulho e me traz enorme realização. Mas ainda tenho o sonho de trabalhar mais com negócios de impacto positivo, algo que mostre que dá para ser eficiente pra todo mundo.

 

  1. Qual a sua maior conquista?

Minha autonomia. Me sinto hoje bem dona das minhas escolhas, consciente. E isso sempre me motivou, desde jovem.

 

 

  1. Livro, filme e mulher que admira

As mulheres que mais admiro são as da minha família. São mulheres fortes, parceiras, dedicadas as pessoas, independentes e corajosas. Elas são minha maior referência de coragem, autoestima, confiança, flexibilidade e mais do que tudo amor e perseverança.

Publicidade

Uma mulher incrível pra mim do mundo conhecido é a atriz Merryl Streep, uma atriz incrível, um exemplo de mulher, que usa seu poder na mídia e na comunicação para falar da diversidade, direitos humanos e mulheres.

Um filme: A menina que roubava livros

Um livro: O desafio dos deuses de Peter Bernstein

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.