PUBLICIDADE

Cardápio light fracassa em escolas de L.A

Boicotada por alunos, comida saudável motiva mercado negro de doces e hambúrgueres

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

É hora do almoço na escola Van Huys e os alunos fazem fila na cafeteria, examinando o que lhes está sendo oferecido no dia: hambúrgueres de feijão preto, salada, peras e outros pratos, num novo cardápio mais saudável introduzido neste ano pelo Sistema de Ensino Unificado do Distrito de Los Angeles. Mas Iraides Renteria e Mayra Gutierrez nem se preocuparam em entrar na fila. Iraides disse que a comida na escola dava vontade de vomitar e Mayra chamou de "uma coisa repugnante". Então, o que elas comem? Os menores tiram três pacotes de Hot Cheetos e um refrigerante da mochila. "É o nosso almoço", diz Iraides. "Estamos comendo mais comida que não é saudável agora que no ano passado." A cena comprova o fiasco do novo cardápio, rejeitado em massa pelos estudantes. No início do ano, as escolas de Los Angeles abandonaram o leite com chocolate e morangos, os nuggets de frango, os cachorros-quentes, nachos e outros alimentos ricos em sódio, gordura e açúcar. Em seu lugar, os chefs passaram a preparar pratos mais saudáveis, como saladas, legumes cozidos e massas tailandesas. A participação no programa de almoço escolar, então, caiu vertiginosamente. Os encarregados vêm reportando um desperdício enorme, com embalagens de leite não abertas e entradas não comidas pelos alunos sendo jogadas no lixo. E os estudantes criticam os almoços - alguns alegam ter dores de cabeça, no estômago e até mesmo estar com anemia. Paralelamente, em muitas escolas, um mercado clandestino de batatas fritas, doces, hambúrgueres e outros alimentos proibidos está prosperando. Admitindo as queixas, o diretor de serviços alimentares da secretaria, Dennis Barrett, anunciou neste mês que o cardápio será revisto. Hambúrgueres serão oferecidos diariamente. Alguns dos pratos mais exóticos serão descartados, incluindo cozido de legumes, massa tailandesa, lentilha e costeletas com arroz integral. Já se admite até a volta triunfal da pizza - embora com massa de farinha integral, queijo com menos gordura e um molho sem sódio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.