PUBLICIDADE

'Foi uma invasão de privacidade', diz mulher gravada pela assistente Alexa

Família da cidade de Portland, nos EUA, teve conversa gravada e enviada para um de seus contatos

PUBLICIDADE

Por Agências
Atualização:
Recebido com desconfiança pelo mercado no final de 2014, Echo, que usa a assistente Alexa, tornou-se umdos principais produtos da Amazon Foto: Amazon

Uma americana e sua família, moradores de Portland, no estado americano de Oregon, descobriu que foi gravada pela assistente pessoal Alexa, que funciona a partir de caixas de som inteligentes fabricados pela gigante do e-commerce Amazon. Em uma sequência de eventos que ainda não foram totalmente esclarecidos, a assistente gravou uma conversa da família e enviou o arquivo de áudio para um dos contatos aleatoriamente. O episódio evidenciou como a Alexa pode confundir o que as pessoas estão dizendo e tomar ações com base no que entendeu.

PUBLICIDADE

O caso foi noticiado por um site local, o Kiro 7, que afirmou que a família tinha várias caixas de som inteligentes da Amazon pela casa. "Eu me senti invadida", disse a mulher. "Foi uma total invasão de privacidade. Imediatamente, eu disse que nunca mais iria ligar aquele dispositivo na tomada de novo, porque eu não posso confiar nele."

A Alexa em geral começa a gravar uma conversa apenas quando o usuário diz uma palavra pré-configurada para "acordar" a assistente. Contudo, isso significa que, dependendo da palavra, até um comercial de TV reproduzido na sala poderia ligar o dispositivo e iniciar a gravação.

Segundo a Amazon, é isso que aconteceu no caso desse incidente. "A conversa foi ouvida como um pedido de envio da gravação", disse a empresa, por meio de comunicado. "Em algum ponto, a Alexa deve ter tido "Para quem" e a conversa em segundo plano foi interpretada pela assistente como o nome de um dos contatos da pessoa" que configurou o dispositivo, disse a empresa.

"Estamos avaliando opções para reduzir a ocorrência desse tipo de caso", afirmou a empresa.

Confiança. Assegurar aos usuários da Alexa que a assistente pessoal é segura é crucial para os planos da Amazon de tornar o dispositivo onipresente na casa dos consumidores em todo o mundo.

Uma pesquisa desenvolvida por professores das universidades de Berkeley e Georgetown, nos EUA, em 2016 descobriu que sons inaudíveis para humanos seriam capazes de acionar assistentes pessoais em geral, o que aumentou as preocupações sobre esse tipo de sistema.

Publicidade

Atualmente, dezenas de milhões de caixas de som inteligentes da Amazon estão em operação nos Estados Unidos e em outros países. Segundo especialistas, incidentes desse tipo são raros. "Ruídos em segundo plano da TV está fazendo a assistente achar que falamos Alexa", disse o analista Michael Pachter, da Wedbush Securities.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.