Acusados de espancar doméstica recebem 2ª denúncia

Os cinco estudantes acusados de espancar a doméstica Sirlei Dias Carvalho, em junho, no Rio, vão ser julgados por lesão corporal grave, além do roubo qualificado com concurso de agentes, como era a denúncia inicial. O promotor da 38.ª Vara Criminal do Rio, André Ricci, incluiu o laudo do Instituto Médico Legal, que mostrou que Sirlei ficou afastada do trabalho por mais de 30 dias. De acordo com a lei, só configura a lesão corporal grave quando a vítima fica incapacitada de exercer suas atividades por mais de um mês.Como a polícia entregou o inquérito à Justiça antes de completados os 30 dias da data da agressão, os jovens não haviam sido denunciados pela lesão corporal grave. Se forem condenados, os cinco rapazes de classe média alta podem ficar presos por até 15 anos. Antes, a pena máxima era de 10 anos. Dos cinco acusados, quatro aguardam julgamento presos. A Justiça concedeu habeas-corpus ao motorista Felipe Macedo Nery Neto, que teria permanecido no carro. Na terça-feira, haverá novo interrogatório de Rubens Arruda, Rodrigo Bassalo, Júlio Junqueira, Leonardo Andrade e Nery Neto na 38ª Vara Criminal.

CLARISSA THOMÉ, Agencia Estado

12 de setembro de 2007 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.