Acusados de matar milionário pegam 18 anos de prisão

Os ex-seguranças do milionário René Senna foram condenados a 18 anos de prisão após 72 horas de julgamento. Anderson Silva de Souza, de 33 anos, e Ednei Gonçalves Pereira, de 42, foram condenados a 15 anos por homicídio e 3 anos por furto de dinheiro da vítima no dia do crime. O assassinato ocorreu em 7 de janeiro de 2007.

PEDRO DANTAS, Agencia Estado

09 Julho 2009 | 08h37

Os dois foram apontados como os executores do crime. Além deles, outras quatro pessoas são acusadas, entre as quais a viúva de René Senna, Adriana Ferreira Almeida, denunciada como mandante do homicídio. Os advogados dos condenados já recorreram da sentença. O julgamento de Adriana ainda não tem data prevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.