Advogados do casal Nardoni já cogitam recorrer ao STJ

'Vamos até onde houver condições de restabelecimento das garantias constitucionais', diz defesa

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

09 de maio de 2008 | 21h14

Os advogados de defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá recorrerão ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), caso seja negado o pedido de habeas corpus em favor do casal, encaminhado nesta sexta-feira, 9, ao Tribunal de Justiça de São Paulo. "Vamos até onde houver condições para conseguir o restabelecimento das garantias constitucionais de nossos clientes", afirmou o coordenador da defesa, Marco Polo Levorin.    VEJA TAMBÉM'Agora, a Justiça foi feita', desabafa mãe de IsabellaGilmar Mendes cobra cautela na apuração da morte de IsabellaAmeaçada, Anna Carolina Jatobá é transferida para TremembéImagens da prisão do casal  Leia a conclusão da Justiça sobre o inquéritoFotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella  Ele informou que, além de ser examinado a partir de segunda-feira pelo desembargador Caio Canguçu de Almeida, o pedido de habeas corpus também tramitará por uma das câmaras do TJ, sendo apreciado por três desembargadores, e depois voltará à análise de Canguçu.A defesa assegurou não ter influenciado a decisão da Secretaria de Administração Penitenciária de transferir Ana Carolina Jatobá do presídio feminino de Sant''Ana para o presídio feminino de Tremembé, no Vale do Paraíba.Levorin afirmou que Anna estava segura e tranqüila em sua cela, mas a Secretaria pode ter avaliado que a possibilidade de revolta entre as presas colocaria em risco a segurança no presídio. Ele disse também que não pretende pedir a transferência de Alexandre Nardoni, que está preso no 13º Distrito Policial. "Até que tenhamos informações concretas sobre uma situação que comprometa a integridade física dele, não faremos qualquer pedido de transferência. Por ora, estamos tranqüilos", assegurou.

Mais conteúdo sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.