Caso Isabella: promotor denuncia nesta terça pai e madrasta

Cembranelli, no entanto, preferiu não adiantar se será favorável à manutenção da prisão preventiva contra eles

da Redação, estadao.com.br

06 de maio de 2008 | 08h26

O casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá será denunciado nesta terça-feira, 6, pelo assassinato de Isabella Nardoni, 5 anos. Na segunda-feira, 5, o promotor Francisco Cembranelli confirmou que acusará o pai e a madrasta pela asfixia e queda da menina da janela do 6º andar do edifício London, na zona norte de São Paulo, na noite de 29 de março, mas preferiu não adiantar se dará parecer favorável ao pedido da polícia para que eles permaneçam presos até o julgamento (prisão preventiva).   VEJA TAMBÉM Donos de imóveis lucram com reconstituição  'Há mais que indícios' contra o casal, diz promotor Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella  "Eu tenho elementos que me autorizam a oferecer a denúncia (contra o casal)", disse o promotor. Cembranelli contou que sua denúncia será concisa, com cerca de duas páginas. "Eu somente colocarei no papel o que poderei provar", avisou. A denúncia pode não citar as polêmicas questões do sangue encontrado no Ford Ka do casal e do vômito na bermuda de Alexandre, pois os laudos do Instituto de Criminalística (IC) não foram conclusivos e podem servir de respaldo para a defesa dos indiciados.Já a esganadura e a queda foram comprovadas no laudo necroscópico. O motivo, se não estiver comprovado, não constará no documento. Sobre o pedido de prisão preventiva, o promotor foi ainda mais criterioso. "A denúncia não está aliada ao parecer favorável do pedido de prisão preventiva. Uma coisa não tem nada a ver com a outra."As convicções apresentadas pelo promotor em sua denúncia serão a base de todo o processo criminal, que começará se a Justiça aceitar a acusação. E será contra os argumentos de Cembranelli que a defesa do casal montará sua estratégia. Dessa forma, quanto mais resumida e genérica for a denúncia, melhor para a acusação. A partir da apresentação, o juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri, do Fórum de Santana, terá cinco dias para decidir sobre o início, ou não, de uma ação penal contra o casal.

Tudo o que sabemos sobre:
caso isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.