Chade liberta quatro europeus acusados de tentar seqüestrar crianças

Outros seis franceses seguem presos e aguardam julgamento no país africano.

BBC Brasil, BBC

09 de novembro de 2007 | 14h35

Autoridades do Chade libertaram nesta sexta-feira três tripulantes espanhóis e um pilogo belga, que estavam detidos sob acusação de planejar o seqüestro de crianças.Os quatro teriam sido contratados pela ONG francesa Arca de Zoé para levar mais de cem crianças africanas para fora do país.Depois de 15 dias detidos, os três espanhóis deixaram a principal prisão da capital, Ndjamena, no início da tarde.Já o piloto belga Jacques Wilmart, de 75 anos de idade, foi levado na quinta-feira para um hospital militar francês, depois de sofrer um ataque cardíaco.Os quatro fazem parte de um grupo de 17 europeus presos em 25 de outubro, quando um vôo fretado pela ONG foi detido por autoridades do Chade na cidade de Abeche.O avião da companhia de charter catalã Girjet levaria para a Europa as 103 crianças, que, segundo a entidade francesa, eram órfãos de Darfur, no Sudão.No entanto, funcionários de outras agências de assistência humanitária disseram que as crianças eram do Chade e viviam com seus pais.Quatro aeromoças espanholas e três jornalistas franceses foram libertados no último domingo e voaram para casa com o presidente da França, Nicolas Sarkozy.Sarkozy esteve no Chade para discutir o caso com o presidente do país, Idriss Deby. Outros seis franceses, funcionários da ONG Arca de Zoé, aguardam julgamento por seqüestro. Se forem condenados, eles poderão ter que cumprir uma longa sentença na prisão, com trabalhos forçados.Quatro chadianos também são acusados de fraude e cumplicidade com o seqüestro.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.