Colheita de soja está atrasada no RS, mas clima favorece lavouras

A colheita de soja no Rio Grande do Sul está atrasada em relação ao ano passado, mas a qualidade das lavouras é muito boa, com a ajuda do clima nos últimos dias, disseram uma consultoria e o órgão de assistência técnica no Estado nesta segunda-feira.

Reuters

15 de abril de 2013 | 16h26

A colheita foi realizada em 44 por cento da área plantada no Rio Grande do Sul, contra 55 por cento em meados de abril do ano passado, informou a consultoria Clarivi.

Por outro lado, os dados da consultoria mostram um bom avanço, de 17 pontos percentuais, nos trabalhos de campo na última semana.

"Em tese teríamos que estar num estágio mais avançado de colheita", disse o assistente técnico da Emater/RS, Alencar Paulo Rugeri, atribuindo o atraso a um período muito seco no Estado em janeiro. "Atrasou um pouco todo o processo."

No entanto, o clima atualmente tem ajudando tanto a operação das máquinas colheitadeiras quanto as lavouras que ainda estão em fase de maturação.

"Está havendo uma condição das melhores. Está havendo uma ou duas chuvas por semana. Para quem tem lavoura não tem coisa melhor que isso."

Segundo o técnico, o clima está ajudando inclusive os produtores que apostaram numa espécie de "safrinha de soja", plantada em áreas que tinham milho ou uma primeira safra da oleaginosa.

"Em alguns municípios, a área de soja dobra na safrinha. (...) No noroeste (do Rio Grande do Sul) isso já é uma prática", disse Rugeri.

Apesar deste tipo de plantio estar fora da janela ideal de clima, com risco para a produtividade, há um incentivo econômico, diz o técnico.

"Com a soja a 50, 60 reais (por saca), o pessoal faz de tudo."

O Rio Grande do Sul é o terceiro Estado com maior produção de soja no país, atrás apenas de Mato Grosso e Paraná, e deverá colher um recorde de 12,2 milhões de toneladas de soja nesta temporada, numa recuperação de quase 90 por cento ante a safra passada, duramente afetada por uma seca, segundo os dados mais recentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

BRASIL

O relatório semanal da Clarivi aponta que a colheita de soja no Brasil avançou, na semana passada, para 84,4 por cento da área plantada, ante 78 por cento uma semana antes e contra 86,9 por cento um ano atrás.

No Paraná 90 da área já foram colhidos. No Centro-Oeste a colheita está praticamente encerrada.

A consultoria Céleres informou, por telefone, que estimou a colheita brasileira de soja em 78 por cento da área.

Enquanto isso, o plantio de milho de segunda safra, que é realizado principalmente no Centro-Oeste já está praticamente encerrado, segundo a Clarivi, abrangendo 98,8 por cento da área.

Segundo a consultoria, 90 por cento das lavouras estão em fase de germinação ou desenvolvimento vegetativo e 5,9 por cento já chegaram à fase de floração.

A Conab estimou uma segunda safra de milho recorde neste ano no Brasil, de 42,68 milhões de toneladas.

(Reportagem de Gustavo Bonato)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJARS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.