Com conta de luz, vítima ajuda a prender sequestrador

Com uma conta de luz que estava no cativeiro onde foi mantido refém por quase duas horas, na noite de ontem, um caminhoneiro, após ser liberado pelos criminosos - que não conseguiram dar um destino à carga roubada - auxiliou policiais militares da 2ª Companhia do 29º Batalhão a encontrar o imóvel utilizado pela quadrilha e prender um dos bandidos, na zona leste da capital paulista.

RICARDO VALOTA, Agência Estado

13 Abril 2012 | 05h18

A vítima, de 31 anos, ao volante de uma carreta com chapas de aço, foi abordada pelos bandidos na pista sentido capital da Rodovia Ayrton Senna próximo à entrada para Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. Ao parar no acostamento, às 20h30, o caminhoneiro, que viajaria para Mococa, interior paulista, foi surpreendido por dois veículos, um Corsa preto e um Celta, também escuro. Havia dois bandidos no Corsa.

O caminhoneiro foi colocado no Corsa e levado para uma casa, de apenas um cômodo, na Rua Dr.Francisco Tancredi, no Jardim Helena, região de São Miguel Paulista, onde foi mantido trancado e era vigiado supostamente por dois homens, que permaneceram do lado de fora. Durante o tempo em que ficou na residência, o caminhoneiro teve a oportunidade de pegar uma conta de luz que havia sido deixada exposta.

Após quase duas horas tentando, em vão, encontrar alguém para comprar a carga de chapas de aço ou algum local para descarregá-la, os bandidos resolveram abandonar o caminhão na Rua José Nunes Dos Santos, na mesma região, e alertaram os dois comparsas que vigiavam a vítima. Liberado, o refém, de um orelhão, ligou para a PM e relatou onde estava. Ao encontrarem o caminhoneiro, os policiais receberam dele a conta de luz e, com o endereço em mãos, chegaram ao cativeiro.

No cômodo não havia ninguém, mas várias pessoas foram abordadas pelos policiais em um bar ao lado, entre elas Leandro Rodrigues Nascimento, de 23 anos, que foi autuado por roubo e sequestro após reconhecido pela vítima com sendo uma das pessoas que o vigiavam no cativeiro. Um segundo suspeito também foi levado para a delegacia, mas como nada devia à Justiça e não foi reconhecido pelo caminhoneiro, acabou liberado. Os demais sequestradores continuam foragidos. Nenhuma arma foi apreendida pelos policiais, que registraram ocorrência no 22º Distrito Policial, de São Miguel Paulista.

Mais conteúdo sobre:
prisãosequestradorSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.