Condenado acusado de atear fogo em carro com família

Crime aconteceu em Bragança Paulista; na época, quatro pessoas da mesma família morreram no local

ELVIS PEREIRA, estadao.com.br

21 de fevereiro de 2008 | 16h02

A Justiça condenou na quarta-feira, 20, Joabe Severino Ribeiro e Luis Fernando Pereira a 60 anos de prisão em regime fechado pelo roubo à loja Sinhá Moça em Bragança Paulista, no interior de São Paulo, em dezembro de 2006, que culminou com a morte de quatro pessoas. Após roubarem R$ 18,3 mil, os acusados colocaram as vítimas num automóvel e as levaram a uma estrada próxima à Rodovia Fernão Dias, onde atearam fogo no carro. Estavam no veículo amarrados a gerente da loja, Eliana Faria da Silva, seu marido Leandro Donizete de Oliveira, o filho do casal, Vinicius Faria de Oliveira, e a operadora de caixa Luciana Michele Dorta. Eliana e Leandro morreram queimados no local. Luciana conseguiu sair e libertar Vinicius, que morreu horas depois no hospital. Antes de morrer, a operadora foi ouvida pela polícia e apontou a participação de Ribeiro. Posteriormente, o acusado revelou o envolvimento de Pereira. Segundo o Tribunal de Justiça paulista, a sentença, determinada pelo juiz Laércio José Mendes Ferreira Filho, da 2ª Vara Criminal de Bragança Paulista, prevê ainda o pagamento de 80 dias-multa, no valor de 1/30 do salário mínimo, e impede que os condenados possam recorrer em liberdade ou receber qualquer outro benefício em razão do caráter hediondo do crime.

Tudo o que sabemos sobre:
Bragança Paulistafamília queimada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.