Confronto em favela gera temor de reinício da violência no Haiti

Homens armados entraram em confronto com policiais na sexta-feira em uma favela de Porto Príncipe, gerando temores de um reinício da violência política que atingiu o miserável país caribenho no mês passado.

REUTERS

14 de janeiro de 2011 | 18h29

Pelo menos uma pessoa morreu e várias foram presas depois que os manifestantes usaram pneus em chamas para montar barricadas nas ruas da favela Martissant, na zona sul, disse à Reuters o comissário policial Michaelange Gedeon.

Segundo Gedeon, os policiais foram recebidos a tiros no local. "Um (dos manifestantes) foi morto em um tiroteio com a polícia", afirmou.

Ele disse que a motivação do protesto não está clara, mas há temores de que um recente relatório de especialistas da Organização dos Estados Americanos (OEA) a respeito das eleições presidenciais de 28 de novembro gere instabilidade.

O relatório recomenda que o candidato governista a presidente, Jude Celestin, seja eliminado da disputa do segundo turno, contra a ex-primeira-dama Mirlande Manigat.

No mês passado, após a divulgação dos resultados do primeiro turno, partidários do cantor Michel Martelly, declarado terceiro colocado na eleição, fizeram protestos em diversos pontos do país.

Uma fonte do governo disse que o presidente René Préval manifestou "várias ressalvas" ao relatório da OEA, que ele recebeu na quinta-feira, e não está claro se ele irá acatar ou não as recomendações.

Por causa da polêmica pós-eleitoral, analistas dizem que o segundo turno só poderá ser realizado a partir de fevereiro.

(Reportagem de Joseph Guyler Delva)

Tudo o que sabemos sobre:
HAITIDISTURBIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.