Conselho universitário da UnB dá aval à 'Concursobrás'

A Universidade de Brasília (UnB) deu aval na tarde de hoje aos planos do Ministério da Educação (MEC) de transformar o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) em uma espécie de "Concursobrás", empresa pública focada em processos de seleção, certificações e exames, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O centro integra a UnB e fatura mais de R$ 200 milhões por ano.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

03 Junho 2011 | 18h13

Por 36 votos a fator, seis contrários e quatro abstenções, o parecer do decano de assuntos comunitários, Eduardo Raupp, foi aprovado pelo conselho universitário da UnB.

Para aceitar a empreitada, a UnB elaborou uma lista de condições: quer ficar com pelo menos 10% da receita financeira do novo Cespe (que passaria a se chamar Centro Brasileiro de Seleção e de Promoção de Eventos), indicar os membros da diretoria executiva e receber tratamento prioritário na prestação de serviços à empresa.

No ano passado, o Cespe obteve faturamento de R$ 271,5 milhões, dos quais R$ 46,9 milhões (17% do total) foram repassados à universidade. O crescimento do órgão foi impulsionado pelo grande número de concursos públicos promovidos durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010).

Mais conteúdo sobre:
UnB Cespe concursos empresa pública

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.