Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians

Corinthians tenta evitar recorde negativo e Santos luta por fim do tabu

Equipes se enfrentam neste sábado, às 17h, na arena em Itaquera, pela 28ª rodada do Brasileirão

João Prata, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2019 | 04h30

O Corinthians está há cinco jogos sem vitórias e encara o Santos hoje, às 17h, em sua arena para evitar um recorde negativo sob o comando de Fábio Carille. Desde que ele assumiu, o time nunca acumulou seis tropeços seguidos. Do outro lado, a equipe de Jorge Sampaoli tem um tabu para tentar superar: há quatro anos não consegue bater o rival em Itaquera.

O meia Mateus Vital vê o clássico como ótima oportunidade para espantar a má fase. "Vencendo essa partida, dá confiança a mais. Vejo pelo lado bom. Um clássico para ganhar confiança e conseguir o resultado. Ganhar confiança para o decorrer do campeonato", afirmou o meia Mateus Vital.

O jogador ainda nem estava no Corinthians quando o time amargou a outra sequência negativa. Aconteceu meses depois de Carille ter sido efetivado como técnico. Em março de 2017, foram quatro empates e uma derrota entre jogos do Paulistão e da Copa do Brasil. Agora o momento é pior com três derrotas e dois empates.

"Quando tem jejum de vitórias, as coisas se falam lá fora. Somos blindados quanto a isso. Nunca trabalhei num grupo tão fechado quanto esse. Tenho certeza que se houver derrota, muito vai se falar, muito vai se questionar, mas o grupo vai seguir fechado para terminar bem. Onde o Corinthians tem de estar", prosseguiu Vital.

A vitória também amenizaria a pressão em cima de Carille. Após a derrota para o Cruzeiro por 2 a 1 na última rodada, o diretor de futebol do clube, Duílio Monteiro Alves, apareceu na entrevista coletiva para garantir a permanência do treinador até o final da temporada. 

O volante Junior Urso saiu em defesa de Carille. "Seria (injusto demitir Carille em 2020), É um trabalho bom, que já rendeu frutos. No futebol, a memória é muito curta", afirmou. O jogador volta ao time após se recuperar de problema muscular. Coincidentemente, ele ficou de fora da equipe nas últimas cinco partidas.

O Santos, desde a inauguração da Arena Corinthians, em 2014, visitou o rival por 11 vezes. Em apenas uma delas, em agosto de 2015, os santistas levaram a melhor. Naquela ocasião, com gols de Ricardo Oliveira e Gabigol, hoje artilheiro do Brasileirão pelo Flamengo, venceram por 2 a 1, eliminaram os anfitriões da Copa do Brasil e avançaram às quartas de final da competição. Depois disso foram cinco vitórias do Corinthians e três empates.

O volante Diego Pituca alertou que a dificuldade em vencer está na força defensiva do Corinthians. "Eles sempre jogam fechado e exploram o contra-ataque. Temos que trabalhar a bola, ter paciência. A bola aérea deles é muito forte, tem o Gustavo, o Gil, muito bons. Temos que prestar atenção nisso. Sabemos como jogam, eles sabem da gente. Vai ser bacana para assistir", afirmou. 

Neste ano as equipes se enfrentarm por seis vezes. Foram dois empates, duas vitórias do Santos e uma do Corinthians. O time de Carille ainda tem a vantagem de ter eliminado o rival na semifinal do Campeonato Paulista.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS - Cássio, Michel Macedo, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Mateus Vital; Pedrinho, Gustagol e Janderson. Técnico: Fábio Carille.

SANTOS - Everson; Pará, Gustavo Henrique, Luan Peres e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Evandro; Tailson, Eduardo Sasha e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Juiz: Luiz Flavio de Oliveira.

Local: Arena Corinthians.

Horário: 17h.

Na TV: Pay-per-view.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.