Cropo de menino brasileiro desaparecido em 2009 nos EUA é encontrado

Christopher Szczepanik, de 7 anos, havia desaparecido com os pais em dezembro de 2009; três brasileiros são acusados de assassiná-los.

BBC Brasil, BBC

19 de outubro de 2011 | 06h48

O corpo de um menino brasileiro de 7 anos que estava desaparecido havia quase dois anos com seus pais nos Estados Unidos foi encontrado na terça-feira do rio Missouri, no Estado de Nebraska.

Os restos de Christopher Szczepanik foram encontrados após o depoimento de um dos três brasileiros que foram indiciados pelo assassinato do menino e de seus pais, Vanderlei e Jacqueline Szczepanik.

O desaparecimento da família, em dezembro de 2009, era um grande mistério. Eles moravam havia quatro anos na cidade de Omaha, onde Vanderlei trabalhava como carpinteiro para uma igreja evangélica, quando sumiram sem deixar pistas.

O alarme foi dado poucos dias depois por parentes e amigos no Brasil, preocupados com a falta de notícias da família.

Segundo a mídia local, testes de DNA confirmaram que o corpo encontrado enrolado em um lençol, no leito do rio Missouri, era mesmo de Christopher. Os corpos dos pais, que também teriam sido assassinados, continuam desaparecidos.

Cartões de crédito

Os três brasileiros acusados pelo crime trabalhavam para Vanderlei na reforma de uma escola ligada à igreja à qual eram filiados.

A desconfiança sobre os três foi gerada após cartões de crédito da família terem sido usados depois do desaparecimento.

Um dos acusados, Valdeir Gonçalves Santos, fez um acordo com a promotoria para testemunhar contra os dois acusados, José Oliveira Coutinho e Elias Lourenço Batista em troca de uma possível redução na pena.

Ele teria contado que os três mataram Vanderlei Szczepanik a pauladas e depois enforcaram a mãe e o menino, antes de jogar os corpos no rio.

Os investigadores esperam agora também encontrar os corpos dos pais próximo ao local onde foi encontrado o de Christopher. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.